Serviços de Eletrônica e Vídeo Produtora com TÉCNICA E INTELIGÊNCIA!

Prestadora de Serviços Técnicos Eletrônicos.Especializada em serviços EXCLUSIVOS para empresas do setor de eletrônicos e Vídeo Produções.Serviços Especializados para Pessoas Físicas e Jurídicas.CONHEÇA NOSSA EMPRESA!

Uma das Únicas do Brasil.Especializada em Técnologia e Eletrônica!

Vídeo Produtora ESPECIALIZADA para empresas do Setor de Eletrônicos.Vídeo Manuais,Vídeo Treinamentos,Vídeo Aulas de Eletrônica para faculdades,cursos,escolas e MUITO MAIS. Conheça nosso Diferêncial!

Especializada em INFORMÁTICA/LINUX e Segurança ELETRÔNICA

Equipe Técnica especializada em informática atuando desde 1986 no setor!Treinamentos,reparos/manutenções,consultoria e muito mais. CONFIRA!

Prestador IDEAL para empresas do Setor Eletrônico,instaladoras,fabricantes,revendas,Importadores!

Equipe técnica com mais de 10 anos de Experiência em várias linhas de Produtos Eletrônicos.Especializados em Treinamento Técnico,Suporte Técnico,manutenção e muito mais! Veja nosso Diferencial!

Vídeo Produtora Especializada em Web-Vídeo. Mais acessível para Pessoas Físicas!

Somos uma vídeo produtora também focada no público doméstico!Com serviços especializados e de preços mais acessíveis com usarmos técnologia LINUX em nossos equipamentos! CONFIRA!

ESI JMJG Ⓡ SERVIÇOS TÉCNICOS E VÍDEO PRODUÇÕES ESPECIALIZADA.

Empresa Prestadora de Serviços Técnicos Eletrônicos.Especializada em Treinamentos, Suporte Técnico, Reparo/Manutenções de Informática/Eletrônicos.Especialista em INFORMÁTICA/LINUX e SEGURANÇA ELETRÔNICA. Vídeo Produtora Especializada para empresas do setor de Eletrônicos. Atendemos pessoas Físicas e Jurídicas com serviços EXCLUSIVOS e DIFERENCIADOS.Seja qual for tua necessidade nosso Serviço é feito com TÉCNICA E INTELIGÊNCIA!

Download de todos os Driver da placa mãe FIC FR33E Pentium 3 Vintage

 Download de Drivers para placa mãe FIC FR33E Pentium 3 Vintage. Drivers para Windows 9X/XP originais


FR33E Fabricada pela FIC é uma placa mãe vintage para processadores Pentium III, com algumas características interessantes para algumas aplicações atuais de empresas que ainda necessitem. As principais características são:

  • Porta Paralela
  • Porta Serial
  • 2 Portas USB
  • 2 Slots de Expansão PCI
  • 1 SLOT de Expansão ISA de 16 BITS
  • Controlador IDE com 2 canais Primário/Secundário
  • Controlador de Floppy Disk
  • 2 Slots de Memória SDRAM até 133Mhz
Isso faz dela uma placa perfeita para aplicações vintage, podendo ser usada tanto em sistemas Windows 9X ou Linux mais antigos.

Em sistemas Windows infelizmente os drivers não são automaticamente identificados, ainda mais em versões até 9X/XP principalmente. Isso exige o usuário e ter que "caçar" os drivers manualmente e instalar do modo puro e clássico que era feito.

O problema é que o fabricante não fornece mais os drivers e procurar na internet poderá ser uma tarefa muito cansativa, com vários sites fake, download perigosos de instaladores cavalos de troia,etc.

Felizmente nossa empresa vendeu um exemplar da FR33E e o cliente precisava dos drivers, como tínhamos os originais rodando ainda no WINME, pudemos disponibilizar para Download e compartilhar com todos que necessitem desses drivers e não estão achando.

Aqui disponibilizamos para Download os Drivers de Vídeo/Som/Rede e USB2.0 para a FR33E FIC! (Clique na imagem abaixo para abrir)

Drivers assim são raridade atualmente, o que faz muitos usuários a adotar o Linux para ainda poderem usar estas placas. Porém, algumas vezes somente o ambiente Windows 9X ainda permite o uso de certas funcionalidades e placas e seus softwares de modo que encontrar um driver é uma loteria.

Espero que assim muitas pessoas possam utilizar suas placas vintage.


Cortesia de JMJG

Trocando as Lâmpadas do Break Light do Peugeot 208 por LED. Vídeo Tutorial detalhado

 Trocando as Lâmpadas do Break Light do Peugeot 208 por LED. Vídeo Tutorial Detalhado.


Agora estamos mostrando a última modificação por LED que é possível se fazer no Peugeot 208, trata-se agora do Break Light! Infelizmente a fabricante ainda optou por usar lâmpadas incandescentes num ítem que extremo uso....😱 

O Break Light liga toda vez que se pisa nos freios, ou seja, vão ser centenas de acionamentos dentro de um ano, e milhares dentro da vída útil do automóvel.... Fabricantes deveriam entender que este ítem deveria ser obrigatoriamente produzido apenas em LED! Redução de consumo e alta durabilidade, além de alta reposta,já que o LED acende instantaneamente comparado as lâmpadas comuns. Está certo que são milésimos de segundo, mas consumo e durabilidade são indiscutíveis!

A troca por LED pode ser feita na sua garagem, mas exige uma chave Torx para tal, para se soltar os parafusos que prendem o Break Light na tampa do porta-malas.


Assista ao Vídeo e Saiba como trocar as Lâmpadas por LED, bem como a polaridade correta do LED.



Aqui fora o grande erro da fabricante em se usar lâmpadas incandescentes,o porta Lâmpadas do Break Light é bem construído, com  bons refletores internos, e uma inteligente forma de se rosquear e desrosquear a lâmpada T10 de forma fácil e rápida. Se demora mais tempo para se retirar o Break Light da tampa do porta-malas do que trocar as lâmpadas em sí...

E o brucutu que espirra água para o limpador traseiro, de forma inteligente está embutido na mesma peça do Break Light, por isso tomem cuidado para não soltar a mangueira, o que pode causar vazamentos desnecessários, pode-se trocar as lâmpadas tranquilamente com a mangueira encaixada e sem necessidade de remover a peça do veículo!

Mais uma vez o emprego correto da lâmpada T10 no formato de LED é importante, aqui só se aceitam lâmpadas de foco Frontal, bem diferente dos usados no porta-malas e lâmpada da Placa.

LED não é apenas beleza, tem função de economia e alta durabilidade, ítens que as fabricantes devem começar a considerar na fabricação dos seus veículos de forma definitiva! Não é mais admissível lâmpadas incandescentes ou halôgenas em carros do século XXI!

E por favor, não me venham com o papo furado de que isso aumentaria o preço dos veículos, pois o preço do LED e das lâmpadas são praticamente o mesmo, isso pra mim é desculpa de criança!

Com tudo que mostramos de mudanças para LED, seu Peugeot 208 ficará um pouco mais econômico, bonito e com baixa manutenção, já que trocar uma lâmpada LED é bem raro até o final da vida útil do veículo.

Não trocaremos as Lâmpadas do Farol e nem as da lanterna por LED simplesmente por motivos de legislação que proibe alterar a tecnologia, então vamos ter que continuar mantendo lâmpadas halogenas (mesmo super brancas) e lâmpadas incandescentes na lanterna traseira e pisca lateral...

Encerramos aqui a série LED para o Peugeot 208 até modelo 2019!

JMJG

Eng.Eletrônico

Trocando a Lâmpada do Porta Malas do Peugeot 208 por LED Mais Brilho e Economia

 Trocando a Lâmpada do Porta Malas do Peugeot 208 por LED. Mais Brilho e economia. Vídeo Tutorial Detalhado.

Mais uma vez estamos com outro tutorial para troca de lâmpadas LED do Peugeot 208 até modelo 2019. Dessa vez chegou a hora de melhorar a fraca iluminação do Porta-Malas deste carro. Num mundo cada dia mais com porta-malas sem iluminação o Peugeot 208 ainda possui pelo menos uma lâmpada para seus proprietários, mas bem que poderia vir apenas com o porta-lâmpadas instalado, já que a lâmpada original e nada possuem efeitos praticamente semelhantes.😠

Não entendo o motivo de fabricantes ainda continuarem para carros Hatch eliminando cada dia mais as iluminações do Porta-Luvas e Porta-Malas, como se não fossemos usar o carro de noite, em locais de quase ou nenhuma iluminação.... Bons tempos dos anos 80 onde alguns carros tinham a clássica iluminação das portas (Chevette/Monza/Opala/etc)  e alguns até dentro do capô... Hoje elas estão em extinção....😭

Enfim, o Peugeot 208 nas versões até Alure, possui apenas uma lâmpada no Porta-Malas situada modestamente ao lado esquerdo, sendo que o lado direito também deveria ter, mas não tem... O resultado é uma fraca iluminação e com o lado direito apenas visível ao tacto....

Para piorar a péssima e horrível lâmpada incandescente T10 de 5W e o projeto mal feito do seu porta-lâmpadas (que aproveita apenas 50% dessa péssima iluminação gerada) completam a meia penumbra do porta-malas..... Quase que um vaga-lume iluminaria bem mais...enfim.

No vídeo abaixo vamos mostrar como melhorar e trocar a iluminação do porta-malas por LED. Confiram!



Conforme mostramos, existe uma Lâmpada LED T10 apropriada para justamente este caso, não é tudo igual! Usar o LED incorreto, fará o usuário perder mais eficiência da luz, num porta-Lâmpada que privilegia o foco lateral e não frontal como nas lanternas traseiras!

Com a alteração que fizemos, o porta-lâmpadas do Peugeot 208 agora poderá aproveitar 100% da luz gerada pela Lâmpada e não apenas 50% como era no original.

Como resultado de todas as modificações, agora podemos ver que mesmo usando apenas uma lâmpada do lado esquerdo, o lado direito passou de total "cegueira" para uma modesta iluminação, o lado esquerdo com completa visibilidade, servindo finalmente como uma luz decente para o porta-malas!

As fabricantes precisam entender que as vezes pequenas mudanças no projeto, podem gerar sim economia de custo, mas não de cérebro! Colocar uma lâmpada que não ilumina nada, somente por colocar, faz gastar energia sem sentido, e não serve ao propósito na qual existe.

E certos porta-lâmpadas deveriam ser chamados de "redutores de iluminação" pois ao invés de ajudarem a melhorar a eficiência luminosa da lâmpada, acabam por reduzir o que é um absurdo!

Mas enfim, problemas sanados, e resultados 300% melhores do que os originais.

JMJG

Eng Eletrônico.

Vídeo Tutorial para Troca da Lâmpada do teto Peugeot 208 com Detalhes da Desmontagem e Polaridade para LED

Vídeo Tutorial ensinando a Trocar a Lâmpada do Teto do Peugeot 208 que não está no manual do proprietário. Detalhes sobre a Desmontagem e Polaridade para usar Lâmpada LED!

Muitas montadoras não trazem algumas informações em seus manuais do proprietário, a troca de algumas lâmpadas pode ser um mistério para os usuários pois nem sequer são citadas nos referidos documentos! Uma falha grave por parte das montadoras, que nem sequer se dão ao trabalho de revisar as informações contidas no manual original do produto, e fazem apenas a tradução do que consta no manual da matriz (língua original).

E no caso do Peugeot 208 não é diferente! Trocar aquele bendita lâmpada do Teto que é amarela, chata, quente e de filamento será um mistério caso queime ou caso o usuário queira trocar ela por LED!

Aliás, não entendemos o motivo pelo qual em pleno século 21 as montadoras ainda utilizam lâmpadas incandescentes em seus automóveis! Tudo já deveria ser substituído por LED! Essas lâmpadas antigas além de amareladas não iluminam nada, consomem muita energia e só esquentam! São inúteis!

No caso do Peugeot 208 que conta com apenas uma lâmpada no centro do Teto (Não possui iluminação traseira),  usar uma lâmpada T10 de 5W incandescente é uma baita sacanagem! Trocando por uma LED apropriada o ganho de luminosidade pode ser acima de 200%!

Menor consumo, alta luminosidade são "apenas" esses os benefícios do LED comparado a lâmpada T10 original!

Seja por trocar a lâmpada original queimada, ou colocar uma LED, essa informação deveria constar no manual do usuário. É assim com a lâmpada do porta malas e do porta luvas (se houver).

Assista nosso Tutorial Detalhado, ensinando como trocar a lâmpada do Teto do Peugeot 208!



O melhor do nosso Tutorial é que ele ensina os usuários a retirar a moldura da lâmpada do teto apenas com as mãos sem usar ferramentas! Isso evita brutalidade com quebra de travas ou afundamento de acabamento, deixando marcas e sequelas permanentes que podem obrigar os usuários a ter que comprar outra moldura nova! Na verdade a Peugeot projetou essa moldura para ser retirada realmente apenas com as mãos!

Muitos podem dizer que a fabricante não incluiu no manual a orientação da troca da moldura com o porta-lâmpada, pelo fato do teto ser conectado a ele com uma fiação complexa da lâmpada e do sistema microfone usado pelo Bluetooth®️ , e que muitos usuários podem não tomar cuidado ao retirar e assim causar danos nos conectores e nas peças plásticas, mas discordo desse ponto! Existe no manual instruções mais complicadas para troca da lâmpada do farol por exemplo, que não é mais complexa do que trocar a lâmpada do teto!

Aqui cabe sim um cuidado especial coma fiação, na qual o usuário pode desconectar facilmente conforme informado no vídeo. Pode ser que muitos não queiram tentar fazer, por não estarem familiarizados com a ideia de retirar conectores ou ter jeito para isso, mas o fato é que essa informação não deveria estar suprimida do manual! Mesmo para técnicos e mecânicos isso deveria constar!

Não tem como ir ao mecânico ou concessionária toda hora que queimar uma lâmpada! Embora em alguns casos compense, principalmente se for farol ou lanterna, onde o acesso é muito pior e mais limitado do que o teto do carro!

Tudo isso poderia ser evitado, se a montadora simplesmente colocasse lâmpadas LED já de fábrica! Repito, pra que usar lâmpada incandescente em pleno século 21??! Custo? Nem tanto, o LED T10 não é tão caro quanto a T10 comum de filamento! Já nos faróis o assunto até pode ser discutível, mas mesmo assim o LED ganharia.

Situação pior está o porta-malas do Peugeot 208 onde não só mais uma vez a informação da troca da lâmpada está suprimida, como detectamos uma falha de projeto no porta-lâmpadas que usa apenas 50% da luminosidade da lâmpada!

A culpa não é da Peugeot mas sim de quem projetou a peça! Vamos mostrar isso em breve em mais um vídeo Tutorial bacana e bem desenvolvido!

Não percam!

JMJG
Eng Eletrônico

Testando o Cabo MIDI Vintage num Computador com Linux- Software RoseGarden

Testando o Cabo Midi Vintage num Computador com Linux. Usando o Software RoseGarden.

Projeto de cabo MIDI Antigo DB25 e Conector DIN para instrumento musical e computador antigo. By ESIJMJG

Projeto de Cabo MIDI antigo conector DB25 e Conector DIN para instrumento Musical Vintage e Computador Antigo. By ESIJMJG

MIDI- Musical Instrument Digital Interface criado em 1982 pelos fabricantes japoneses e Norte Americanos, é uma interface especial para estabelecer um padrão de conexão universal entre instrumentos musicais e seus acessórios, incluindo o computador. Em Português seria algo como " Interface Digital para Instrumento Musical". 

Acontece que o famoso cabo MIDI não é simplesmente um cabinho comum com fios, existe um circuito eletrônico interno, que será responsável por fazer o acoplamento entre o instrumento musical e outros produtos. 

Em cada instrumento musical, existe duas portas de conexão MIDI IN e MIDI OUT.

O MIDI IN é a entrada de sinais vindo de outro instrumento ou da interface do Computador. 

O MIDI OUT é a saída de sinais do instrumento musical para outro instrumento ou para a interface do Computador.

Os conectores do MIDI IN e MIDI OUT são os famosos DIN-5 de 5 pinos, os mesmos usados em antigos gravadores de Tape Deck e dos teclados de computadores padrão XT/AT.

E no caso de computadores, eles necessitam possuir uma placa de Som com conector MIDI especial, que é feito também pela porta do JoyStick dos jogos. Este conector é no padrão DB15 que é padronizado justamente para isso. Somente placas de Som com circuito MIDI é que possuem este conector embutido no seu espelho.

Na foto acima podemos notar a presença do conector DB15 Preto na Esquerda, antes das conexões P2 de áudio. Ele pode mudar de cor (amarelo) ou posição (direita) mas sempre será o mesmo formato e função!

Como somos amantes do vintage, e também temos um instrumento musical antigo e um computador antigo com placa de som MIDI, vamos desenvolver o projeto do Cabo MIDI conforme orientado na Internet em esquemas já liberados pela Sound Blaster!

Confiram em nosso Vídeo como fazer o projeto do Cabo MIDI antigo para usar. Mais abaixo detalhes do esquema elétrico e valores dos componentes usados.




Esquema/Componentes para o Projeto da Placa MIDI-Vintage

Para a montagem da Placa ou Wire-UP da MIDI-Vintage, vamos passar abaixo o esquema elétrico correto, bem como a lista de componentes para se montar a mesma.

Vale lembrar que o esquema elétrico possui várias versões pela internet afora, sendo que algumas estão até incorretas! Nós já corrigimos isso alterando o desenho para o esquema de conexão aferido em nossos testes do vídeo!

Importante notar que o cabo MIDI na verdade é composto por dois circuitos separados! Um que conecta o instrumento musical ao computador e outro que conecta o computador ao instrumento musical, ou seja dois caminhos diferentes. Isso significa que um circuito não interfere no outro e que devemos conectar os dois se quisermos ouvir ou gravar arquivos MIDI do computador para o instrumento e vice-versa.

Importante deixar bem claro que este projeto é destinado apenas aos instrumentos que não usem conexão USB mais moderna, e sim através de pinos DIN-5 padrão! O cabo MIDI USB é totalmente diferente deste.


Midi Instrument To Computer: É a parte do circuito MIDI que conecta o instrumento musical ao computador, o MIDI OUT do Instrumento do plug DIN-5 conecta-se ao MIDI IN do Cabo! Nele temos um Opto-Isolador/Acoplador feito pelo circuito integrado 4N35 que serve justamente para dar proteção aos sistemas conectados bem como retransmitir com maior potência os níveis de sinal digital. A saída é feita pelos pinos 8,15,5 do DB15 conectado a placa de som padrão Sound Blaster. A saída é pino 4,5 do DIN-5 do instrumento.

Computer to Midi Instrument: É a parte do circuito MIDI que conecta o computador ao instrumento musical, através do conector DB15 da placa de som. O Cabo de saída MIDI OUT deverá ser plugado no MIDI IN do instrumento musical! Nessa parte do circuito temos um Buffer de sinais feito pelo circuito integrado 7407 (TTL) e as saídas são os pinos 8,12,5 da placa de som. Importante dizer que o MIDI OUT aqui possui um aterramento feito no pino 2 (Shield) do conector DIN-5, sem isso o circuito não funcionará. A Entrada é pino 4,5 do DIN-5 do instrumento.

Lista de Componentes

Componente       Valor  Quantidade
 Resistor   270Ω  1
 Resistor  1KΩ
 Resistor  4,7KΩ  1
 Resistor  220Ω  2
 Capacitor Cerâmico 25V  22pF  2
 Diodo de Sinal  1N4148  1
 Conector      DB15 Macho  1
 Conector   DIN-5 Macho  2
 Circuito Integrado  7407  1
 Circuito Integrado  4N35  1
 Cabo Manga   2 Pares  3 metros
 Cabo de Microfone  Com Blindagem  3 metros

Pinagem do DIN-5
Adicionar legenda

Pinagem do DB-15
Adicionar legenda

Deixo claro que o projeto da placa PCB do vídeo foi da ESIJMJG, de modo que não poderemos deixar os arquivos CAD da mesma disponível para download! Cada um tem que fazer a sua. Mas no caso de quem não estiver prático em fazer ou deseja apenas a placa pronta, poderemos tentar negociar sobre isso, entre em contato conosco para cotação sobre ela. Mas não vendemos placas em grande quantidade, apenas um kit para hobby e pessoas físicas apenas! Não pretendemos tornar o uso deste kit comercial já que o mesmo é antigo e atualmente apenas conexões USB são realizadas entre os instrumentos e os computadores.

O Vídeo nem o artigo aborda com detalhes ricos como fazer o cabo, mas para quem é técnico/Engenheiro Eletrônico poderá fazer seu projeto sem nenhum problema!

Vamos testar o nosso cabo? Claro! Mas isso fica para o próximo artigo.

JMJG
Eng Eletrônico

Conheça um dos primeiros Modem de Internet ADSL no Brasil. Ericsson HM 220 dp

Conheça um dos Primeiros Modem ADSL Internet Discada "Speedy" no Brasil. Ericsson HM-220dp
Modem HM 220dp
Modem ADSL HM 220dp
No começo dos anos 1990 a internet fascinou o Brasil com cada dia mais e mais pessoas desejando ficar conectadas várias horas por dia na rede mundial. Isso fez com que as empresas de telefonia fixa procurassem melhores planos, chegando a cobrar por mensalidade um valor fixo por horas de conexão. Isso ajudava, e continuar se conectando mais na madrugada onde os valores de pulsos eram mais baratos.

Porém isso não era suficiente pois o preço ainda limitada a navegação em poucas horas, menos ainda comparada a necessidade dos internautas! E para piorar, caso alguém quisesse usar o telefone, a conexão com o modem seria completamente interrompida!

Foi ai que resolveram trazer uma tecnologia DSL para o Brasil. O DSL permite que as operadoras de telefonia fixa usem aparelhos especiais para manter a conexão da internet sendo transmitida pela linha telefônica (par trancado) porém totalmente separada da linha telefônica comum, o usuário pode permanecer conectado o dia todo se quiser enquanto a linha telefônica fica completamente livre para ser usada!

Isso porque o DSL permite usar duas frequências separadas na mesma linha, sendo a alta frequência usada para transmitir dados enquanto a mais baixa transmite voz e tudo isso no par trançado padrão! Isso foi a verdadeira revolução na Internet Brasileira!

Nessa época as empresas de telefonia fixa vendiam pacotes de conexão ADSL mensal sem Limite de tempo, o que era muito mais interessante do que a versão discada!

Porém o Modem do sistema ADSL é totalmente diferente do modem de linha telefônica comum!

Assistam um vídeo com um Modem legítimo ADSL um dos primeiros do Brasil.



O Ericsson HM 220 dp é um modem ADSL tecnologia adotada pela telefônica na cidade de São Paulo, e que ainda hoje é usada em certas cidades do Brasil onde não existem outras tecnologias além da linha de par trançado.

Hoje com Fibra Ótica ou Cabo conhecemos a verdadeira Internet Banda Larga com incríveis velocidades de mais de 100 Mb! Porém nem todos os lugares do Brasil podem chegar com essas tecnologias que são mais caras de ser implantadas! Mas praticamente mais de 95% dos lugares tem linha telefônica com par trançado! Então a tecnologia ADSL chega em praticamente todos os lugares onde as novas tecnologias não podem!

Embora com mais baixas velocidades 10/20Mb se conectar com sinal ADSL ainda é mais interessante e mais rápido com que usando internet discada com modem de computador interno!

Até a próxima.

JMJG
Eng Eletrônico

Primeiros Celulares no Brasil 1990 Vídeo Documentário e Verdade sobre função secreta de escuta telefônica


Conheça a História da Telefonia Celular no Brasil. Vídeo Documentário com os modelos DPC-650 e MicroTac Lite II



O Ano de 1990 trouxe grandes mudanças para a telefonia celular Brasileira. Era o inicio de tudo, as vendas de grande varejo para a população brasileira, visto que telefones celulares já existem desde os anos de 1970 e nos anos de 1980 já era usado em muitos países, sendo visto até em filmes de época. Por aqui ainda era tudo tecnologia futurística até o começo dos anos 1990 quando finalmente a Motorola trouxe seus primeiros modelos para o Brasil.

O primeiro modelo lançado no Brasil era o PT-550 (Microtac 9800X), mas outros modelos foram se popularizando no Brasil até que gradativamente o preço foi ficando cada vez mais acessível. No começo dos anos 1990 as linhas de telefonia celular eram muito caras, algumas até valorizavam mais que dólar ou outro, muitos vendiam e revendiam linhas como se faz hoje com um bem móvel, era uma época completamente diferente de hoje no qual a linha celular em sí não vale nada!

Depois existiam filas de espera, de meses até anos, era realmente muito difícil se ter um telefone habilitado no Brasil, e ainda mais bem caro tanto a linha quanto o modelo de aparelho celuar.

Em nosso museu da telefonia, mantemos dois aparelhos celulares da época. O DPC-650 que era um modelo mais simples, e o MicroTac Lite II que era bem mais TOP, "recheado" de opções tais como um MENU personalizado para escolher o tom de música e muitas outras funções!

Assistam ao nosso Vídeo Documentário sobre os Primeiros Celulares no Brasil! (Incluindo o teste da função secreta da escuta telefônica)

Seja bem Vindo! Prestação de Serviços com Técnica e Inteligência!

Para os que vistam nosso Blog, temos muito conteúdo com qualidade, incluindo Download de Programas e Jogos OpenSource ou Free. Ainda contamos com artigos técnicos especialmente desenvolvidos para nossos fãs. Jogos Antigos totalmente gratuitos para baixar, no melhor mundo da Nostalgia, além de emuladores e detalhes sobre o GNU/Linux e Windows. Vídeo Aulas e curiosidades interessantes sobre o mundo da eletrônica/tecnologia. Veja também como rodar jogos e programas no GNU/Linux e conheça o melhor sistema operacional Desktop Totalmente Gratuito! 

Utilize a caixa de busca no canto superior direito para efetuar buscar por artigos ou qualquer assunto de seu interesse! Sempre estamos publicando semanalmente artigos e muita curiosidade. Seu melhor conteúdo técnico do Brasil está sempre contigo! Escreva-nos, teremos o maior prazer em interagir com nossos fãs, faça sugestões para melhoria do nosso blog. Ele é para você!


Jogando Resident Evil 6 no Linux via Steam Play Proton Procedimento para Bug de Tela Preta Resolvido

Como Jogar Resident Evil 6 no Linux usando Steam Play (Proton). Procedimento Completo para Configurar e jogar sem o Bug da Tela Preta. Apresentando Dois Procedimentos.

Resident Evil é uma série de Jogos do gênero de "Survival Horror" criada pela CAPCOM que já possui até hoje 7 (Sete) lançamentos. Hoje estamos tendo muitos remakes do Resident Evil para novas plataformas e gráficos melhorados algo que na época dos três primeiros jogos não tínhamos.

O Jogo fez tanto sucesso que virou até Filme, embora ainda um pouco distante da originalidade do jogo em personagens mas também se transformou em um mega sucesso de Hollywood.

A grande maioria da série do Resident Evil encontra-se também na maior loja de jogos do mundo, o STEAM!

Depois de Resident Evil 5, que foi amplamente complicado de fazer funcionar o Linux através do Steam Play (Proton) temos quase os mesmos procedimentos para fazer rodar o Resident Evil 6!

Assista ao Vídeo Abaixo e Descubra como Jogar Resident Evil 6 no Linux usando o STEAM Play (Proton).




Para não sermos repetitivos vamos deixar o Link do Artigo sobre o Resident Evil 5 no Linux, na qual possui 90% dos códigos digitados na linha de comando, que também servem para o Resident Evil 6!

Sugerimos que os usuários Linux abram este artigo, mesmo que não queiram rodar ou Instalar o Resident Evil 5, pois o procedimento dele é 90% o mesmo para o Resident Evil 6 também!

A única coisa que não se precisa fazer e desabilitar o GFWL já que o Resident Evil 6 não possui o GFWL como base para salvamento dos jogos!

Apresentamos ainda duas Soluções para poder Rodar o Jogo. Uma delas denominamos de "solução medíocre" que é mais rápida e fácil, porém compromete a jogabilidade em 70% já que retira todas os vídeos de CGI (animação gráfica) que apresentam as cenas que contam um pouco da história do jogo.

A outra solução é completa e permite rodar o jogo 100% como é no Windows, porém exige muito mais tempo e paciência dos usuários Linux para poderem configurar todos os requisitos necessários que o jogo exige.

1) Solução Mediocre

Essa solução que também é abordada no Vídeo, exige que o usuário faça Download de um Patch de Correção para os Vídeos de CGI. O Pacote inclui Vídeos com conteúdo NULO ou seja sem vídeo algum! Apenas para poder evitar que o Jogo reproduza o vídeo. No caso será apresentado apenas o Áudio e o vídeo ficará com uma tela preta mas sem travar! 

O usuário poderá rodar o restante do jogo normalmente, mas ficará sem os vídeos da CGI que conta uma boa parte da história.

Jogar assim tira completamente a graça do jogo, 30% da jogabilidade ficará comprometida.

O bom de tudo isso, é que a alternativa é fácil e prática,poupando tempo.

Clique abaixo para baixar o Pacth do Vídeo Nulo para o  RE6

Clique na imagem para Baixar o Pacote de Vídeos
2) Solução Completa e 100% de Jogabilidade

A Solução Completa é muito mais complicada para os usuários Linux, principalmente os iniciantes, que devem seguir fielmente os passos explicados no vídeo que postamos! Recomendamos que seja assistido o vídeo primeiro, e depois tentem efetuar o procedimento.

O Resumo do procedimento é parecido com o Resident Evil 5 no Linux.

Clique aqui e Baixe o Roteiro em TXT com os Links dos sites que usamos como referência!

1) Instale o Jogo do Resident Evil 6 no STEAM (necessário a compra do jogo)
2) Execute o jogo pela primeira vez para criar o AppID
3) Instale o ProtonTricks (requer o WineTricks e outras dependências)
4) Usando o ProtonTricks faça o Download do pacote do WMP11 para poder instalar ele no perfil do Windows Virtual
5) Após a instalação do WMP11 será possível jogar o Resident Evil 6 completamente, com os vídeos da CGI original e sem travar na tela preta! 

O resumo é simples mas o procedimento em sí executado demora cerca de 30 minutos! Portanto acompanhem no vídeo o passo-a-passo para não ter problemas!

Para não repetirmos os procedimentos, podem acessar o artigo do Resident Evil 5, o processo é idêntico, o que muda é apenas o APPID que no RE6 será outro código.

É isso, finalmente agora podemos rodar quase todas as franquias do Resident Evil no Linux usando o sistema Steam Play!

JMJG
Fã de RE e Instrutor Linux 

Jogando Resident Evil 5 no Windows e Linux via Steam Proton A Mega Treta Resolvida em detalhes! Confira

Como configurar e jogar o Resident Evil 5 no Windows e Linux via Steam Proton. A Mega Treta foi resolvida num vídeo detalhe exclusivo ESIJMJG para todo o Brasil em português. Material Completo e inédito na Internet!

Poucos jogos são tão desejados de se rodar no atual Steam da Valve, como é o caso do Resident Evil 5! Após vários anos, finalmente a Valve disponibilizou no Steam o título do RE5 para se jogar. À principio o game roda apenas para sistemas Windows, porém ele também consegue rodar em sistemas Linux quando se ativa o "Steam Play", uma ferramenta de compatibilidade que permite se jogar games Windows em ambientes Linux. 

Nenhum título do Resident Evil original roda em sistemas Linux sem "workarrounds", e no caso da versão Steam não seria diferente!

Acontece que no caso do Resident Evil 5 até usuários Windows vão ter problemas!


Isso se deve ao fato da Capcom (desenvolvedora original do RE5) ter incluído um método de SaveGame completamente inadequado e obsoleto! Na época era uma novidade permitir salvamento em núvem do Savegame do RE5, mas o que eles não contaram ao público era que tudo teria que ser feito usando o serviço do Games For Windows (GFWL). O serviço atualmente está obsoleto e não mais em atividade, já que a Microsoft retirou o serviço do GFWL do ar devido ao mesmo não ter sido popular!

Porém a CAPCOM não efetuou um update no jogo do Resident Evil 5 que continua exigindo a instalação do GFWL para que possa rodar o jogo, o que é um absurdo e total incoerência! 

Quando o RE5 foi portado para a loja do Steam/Valve o mesmo ainda continuou com o requisito do GFWL já que nenhuma atualização foi realizada pela CAPCOM no código do jogo! Como resultado mesmo usuários Windows que pretendem rodar e instalar o jogo, vão ter um bug! Não podem jogar já que a não existe o GFWL como serviço ativo, e sem isso não podem fazer o savegame! O serviço do Steam já inclui um SaveGame automático e sincronizado na nuvem atrelado a conta do usuário, porém o serviço não dispensa o RE5 de continuar requerendo o GFWL até que a CAPCOM crie vergonha e faça uma atualização no jogo retirando essa dependência!

Para usuários Linux a dor de cabeça não para por ai! Além de burlar o GFWL, será preciso também instalar na máquina virtual do Proton (Wine) o Windows Media Player 11 que é necessário para se poder rodar todo o CGI do jogo além de vídeos e menu!

É ai que começa a treta, já que sem instrução nenhum usuário vai conseguir fazer isso. 

A sequência é muito complexa, e fizemos um vídeo com todo o passo-a-passo da instalação e configuração, porém mesmo com o vídeo é necessário se seguir um roteiro, caso contrário não se consegue exito no processo!

Assista ao Vídeo em detalhes de como Instalar/Configurar e Jogar o Resident Evil 5 no Windows e Linux via Steam!


Roteiro para sistemas Windows
1) Comprar e fazer o Download do Resident Evil 5 no Steam
2) Abrir o diretório onde está o jogo e alterar o Script básico da instalação, removendo o GFWL de ser instalado
3) Instalar um PATCH de Correção (feito por um usuário gamer) que removerá do jogo completamente a dependência do GFWL.

Esse é o ponto fenomenal, já que a correção do problema foi feito por um usuário gamer programador, e não pela equipe da CAPCOM que é a responsável pelo jogo! É o fim dos tempos isso!


4) Agora basta clicar em "Jogar" e curtir o RE5 no Windows!

Roteiro para Sistemas Linux (Mega Treta mas funciona)
Antes de Tudo, faça o Download do Tutorial em TXT com os Links dos Sites e Fóruns na qual nos baseamos para todo o Vídeo e Resumo.

Assim os usuários Linux podem copiar os códigos diretamente dos sites, e colar no terminal rodando mais rapidamente os comandos!

1) Comprar e Fazer o Download do Resident Evil 5 no Steam
2) Habilitar nas propriedades a opção para Rodar o jogo Via Steam Play ( ferramenta que permite rodar jogos Windows no Linux)
3) Abrir o diretório onde está o jogo e alterar o Script básico de instalação, removendo o GFWL da lista de instalação
4) Baixar e Instalar o mesmo PATCH de Correção que vai remover do jogo a dependência do GFWL

5) Rodar pela primeira vez o RE5 no Steam para gerar o AppID que será usado futuramente para o Workarround
6) Instalar o WineTricks.

O Winetricks é uma ferramenta necessária para rodar o ProtonTricks que iremos usar no vídeo para todo o procedimento da máquina virtual do Proton

Quem não tem o Winetricks no Linux, deve acessar esse link!

7) Instalar o ProtonTricks. Requer instalar o PIPX e PIP antes como dependência

8) Usando o APPID do RE5 comandar via Protontricks a instalação do WMP11 (Windows Media Player 11)  que é necessário para rodar o jogo no Linux com vídeos e menu ( resolvendo o Bug da tela preta)

Para baixar o WMP11 no formato do Linux prontinho, clique aqui no Link da ESIJMJG

O processo para instalar o WMP11 na máquina virtual do Proton usando o Protontricks é uma treta muito complexa, já que requer alterar o perfil do Windows 7 para Windows XP, apenas para rodar a instalação dos CODEC's Pack e depois efetivamente o WMP11. Depois disso deve-se voltar o perfil do Windows 7 apenas para poder rodar o jogo.

9) Finalmente clique em Rodar e Divirta-se jogando Resident Evil 5 no Linux via Steam! Apesar da Mega Treta, o jogo funciona muito bem e sem travamentos!

Parece simples os 9 passos, porém é importante ressaltar que nestes 9 passos estão bem resumidos procedimentos que demoram até 1 hora para serem efetuados! Isso graças a nossa concatenação de links e pesquisas de meses por sites e fóruns internacionais!

O Resident Evil 5 é o jogo da série que é mais complexo e complicado de se rodar no Linux via Steam. 

O bom de tudo isso, é que para quem desejar rodar o Resident Evil 6 também no Linux via Steam, o procedimento é parecido. Mas pelo menos é mais rápido já que o RE6 não tem Patch de Correção de Bugs e nem o GFWL para retirar!

Acompanhe nosso próximo artigo, e traremos todo o procedimento para rodar e jogar o Resident Evil 6 no Linux via Steam!

Até lá

JMJG
Instrutor Linux e Fã de Resident Evil!

Conheça o AppImage o .EXE do Linux! Rode aplicativos sem instalação e dependências! Saiba aqui

AppImage o .EXE do Linux! Execute e Rode aplicativos sem necessidade de instalação,senha Root ou pacotes/dependências. Saiba tudo aqui!


Executar aplicativos diretamente do Sistema, dando apenas dois cliques não era o ponto forte dos sistemas Linux, fato que fez o mesmo ficar algum tempo distante da realidade de muitos usuários desktop! Porém agora, existe um pacote autoexecutável que é o verdadeiro .EXE dos sistemas Linux, conhecido por .AppImage!

Na verdade existiam outros pacotes .bin .Run .FlatPack .Snappy e todos eles executam no sistema Linux apenas abrindo pelo File Browser dando dois cliques como os arquivos .EXE do Windows. Eles tem que estar marcados para "ser executável" primeiro com o chmod +x nomedoarquivo, mas não se tornaram muito preferidos pelos usuários.

O .AppImage é também um pacote autoexecutável Linux (assim como FlatPack ou Snappy) que contém tudo que o aplicativo precisa para ser rodado diretamente no sistema, incluindo as dependências! Isso significa que não precisamos baixar e instalar as dependências no sistema, bem como ocupar espaço no diretório /, para apenas conseguir executar um determinado aplicativo.

Agora qualquer usuário Linux atual pode simplesmente baixar e rodar um aplicativo sem necessidade de instalação no sistema, basta dar dois cliques e rodar como um .EXE da vida!

Assista ao Vídeo abaixo e descubra como o .AppImage é fácil de executar no Linux sem necessidade alguma de instalação.



Um sonho que muitos usuários leigos e iniciantes sempre queriam, rodar seus aplicativos preferidos no Linux de maneira fácil e sem complicações. Agora com o .AppImage se pode! Como não necessita de instalação, pode rodar diretamente do PenDrive ou de qualquer mídia removível,de qualquer lugar do Disco Rígido (/Home por  exemplo), dispensando o uso de complexas ferramentas para se compilar o aplicativo ou instalar suas complicadas dependências! Quem instala aplicativos quase sempre necessita da senha de Root (super user) e com isso fica limitado. Quase sempre existe dependências que obriga a instalação e configuração de muitos outros pacotes adicionais, tornado o sistema mais consumista de espaço em disco da partição / (principal).

Com o .AppImage se evita a instalação de dependências e problemas de configurações mais complexas. 

Muitos são os títulos já dispostos em .AppImage para Linux. Acesse o site abaixo:

AppsImage ( Por Categoria)

AppsImage ( Por App)

Aqui se pode literalmente fazer o Download do Aplicativo desejado, e depois apenas executar diretamente. No Ubuntu 19.04/19.10 nem precisou marcar como executável ele já veio marcado, mas pode ser que em sistemas mais antigos necessite!

Outros excelentes exemplos de aplicativos em formato .AppImage que podem e devem ser baixados diretamente dos sites oficiais/foruns, para evitar ocupar muito espaço no seu sistema Linux são.

  • Openshot (Editor de Vídeo)
  • Kdenlive (Editor Profissional de Vídeo)
  • Kicad (Criador de Layouts PCB- Eletrônica)

Quem já instalou estes aplicativos no Linux antes, já sabe que eles ocupam muito espaço no sistema, bem como requerem muitas dependencias. No caso especial do Kicad uma enorme biblioteca adicional deve ser instalada o que ocupa mais de 3 Gb no sistema!

Baixando o .AppImage pode-se rodar no /home diretamente, ou de qualquer Pendrive ou HD externo!

Sensacional!

Finalmente o Linux possui seu próprio .EXE! Isso vale para  arquivos de extensão FlatPack ou Snappy pois são o mesmo conceito!

Á partir de agora usuários Linux não tem mais desculpas para reclamar que não executam aplicativos no Linux como era no .EXE!

JMJG
Eng Eletrônico

Leia Também

2008-2018 Ⓡ ESI JMJG Som&Imagem Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.